Turmalina Paraíba

A pedra Turmalina Paraíba foi encontrada pela primeira vez em 1989, nas colinas centrais paraibanas. Seu descobridor, Heitor Dimas Barbosa, passara cinco anos entre escavações contínuas naquele estado do nordeste brasileiro; e se sentiu recompensado ao ser o primeiro a observar essa única e hipnotizante gema. 

Alguns anos depois, outras minas de Turmalinas Paraíba com características similares às pedras brasileiras foram descobertas em 2003, em Moçambique e na Nigéria. Mas o nome permaneceu como citação histórica à descoberta acontecida em solo brasileiro, passando a designar a tonalidade verde-azul da pedra, e não sua origem geográfica.

Também conhecidas por seu nome geológico (Elbaite Cuprian), as Turmalinas Paraíba devem sua coloração gloriosa aos vestígios de cobre na rede cristalina. A cor vívida da pedra emerge depois da lapidação, quando se tornando perfeita para a alta joalheria.  

Ara Vartanian analisa a cor dessa gema tão única: "A característica mais importante que levo em consideração para adquirir uma Turmalina Paraíba é a vitalidade de sua cor. Em outras palavras, eu a descreveria como um neon da pedra”. 

Nesta seleção o designer destaca as pedras únicas de sua coleção de gemas preciosas, que ressaltam raridade, quilatagem, claridade. No intuito de realçar ainda mais as Turmalinas Paraíba, ele fez composições com diamantes brancos que realçam seu tom neon e Rubelitas que contrastam com o verde água.

As gemas descobertas no Brasil são especiais na família das turmalinas. Hoje é uma das pedras mais valorizadas do mercado, pois seu tom único conquista apreciadores de joias pelo mundo todo, não havendo outra pedra que se assemelhe a ela.